Apresentação

marketing inteligente para pessoas e corporações inteligentes!
blog de um homem cidadão, pai, profissional e publicitário com orgulho, nunca "publisciputo"!
criações e produções independentes: marketing pleno, marketing 3º setor, planejamento e estratégia, propaganda e publicidade, eventos e assemelhados, facilitação, treinamento e desenvolvimento
32-99917.3000 - 98871.2455 - E-mail: webertmachado@gmail.com

domingo, janeiro 24, 2016

Pitacos de marketing 005: Você por acaso é analfabeto digital?


Pitacos de marketing 005
* * * * *
Você por acaso é analfabeto digital?

Nunca fui bom no inglês, ou línguas outras, seja nas salas de aula ou nas Kodak Brasileira e Sony-Motorádio, de SP, multinacionais aonde atuei. Isto me travou pouco na absorção de conhecimentos e nunca me impediu de avançar. Sempre me dei bem com meu forte lado auto-didata e de rato-leitura! Minhas filhas Jeanine e Bárbara é que são mestres na absorção de línguas estrangeiras.
Os tempos mudaram e a absorção da leitura hoje, é digitalizada. Lógico que, também, com livro debaixo do suvaco. Mas continuo adorando o cheiro de papel, livro ou revista.
Outrossim, essa mudança de paradigmas nos leva a quebrar outros paradigmas. Hoje, temos que ser críticos e severos na escolha para a absorção do conhecimento em vias digitais.
Percebo que nos últimos 10 ou 12 anos houve profunda explosão da rede com seus blogs, sites, páginas e mais páginas de informação, à nossa disposição via Dr. Google.
Mas sem critérios ficamos desmiolados dentro de um palheiro, à cata de agulhas, no meio de bilhões de páginas.
Senso crítico e boas escolhas nesse mundaréu de informação são condição sine qua non para avançar na absorção de conhecimentos. E sobreviver nesse emaranhado de letras e imagens.
Dia desses, pesquisando sobre comportamento social da molecada de hoje, e sua relação com os novos gadgets (Pra nós, que viemos do Atari, é moleza...), achei dezenas de páginas sobre as pesquisas, a maioria estrangeiras. Sempre recorrendo à péssima tradução online, fui selecionando as densas e fui aprendendo, aprendendo... Mesmo com inglês Dr. Google ruim, afinal, não sou nenhum boçal ignorante. Mas como tinha porcaria nesse livro digital. Dito isto, pergunto:
Será que a molecada de hoje, nascida sob o manto da Wikipedia (cuidado com ela), sabe realmente navegar e aprender ou só sabem apertar botões em um palheiro de gadgets?
Tenho visto (e lido diariamente aqui, no próprio Facebook), muito analfabetismo digital, até na relação com nossa língua máter!
Ah, mais: nunca me incomoda a 'linguagem técnica' da juventude, americanizada, ao lidar com mídias, desde tempos da passagem de mídia mecânica para mídia digital. Tempos de U'Matic, IBM eletrônica, composer. Eram uns tais de Kroma Key, kroma ali, budget aqui, budget ali. Ah, velhos tempos de novos termos técnicos... Portanto:
Você aí, é analfabeto digital também?
Ou só navega na Wikipedia, control-copy, control-paste?

sábado, janeiro 23, 2016

Papo entre 2 comunicadores "puta véias" em 'off', no Facebook


 Papo entre 2 comunicadores "puta véias" em 'off', no Facebook

Glauco Horta Fassheber: Boa tarde, amigo.
Webert Machado: Boa tarde, Glauco. Levando a vida.
Glauco: Vamos levando.
Webert: É, Glauco, esta cidade pouco valor dá aos seus talentos que estão envelhecendo.
Glauco: Percebi. Mas penso em retornar aos comerciais com minha voz. Tenho ouvido péssimas gravações e textos por aqui.
Webert: Temos muito que aprender com os japoneses e seu respeito à experiência dos mais velhos. Hoje, em tempos digitais, todo garotão se acha o 'máximo'. Nem sequer percebem que começamos com a digitalização nos tempos de DOS. Somos digitais desde o útero da Internet. E o mercado incipiente, como é o daqui, aceita isto, uma juventude aprendiz! Infelizmente, assim é o Brasil.
Quanto à qualidade de comerciais em JF, está faltando a Dinâmica no mercado.
Glauco: Com certeza! Em todos os sentidos.
Webert: Você, uma das vozes de ouro do Brasil, sequer é chamado para gravar, hein, Glauco? É uma pena.
Glauco: Nunca fui ouvido....aqui! Sequer pelo telefone. Rs.
Webert: Mama mia.
Quando ouço 'spots' com locutores locais, e doem os ouvidos. Raros são os bem produzidos.
Glauco: Certa vez, faz mais ou menos 3 anos... Joãozinho (o da Percussão, pediu-me que o apresentasse em um CD que iria gravar. Levou-me a um estúdio daqui, Caraiva, que eu não conhecia...
Webert: Sim, Estúdio Caraiva.
Glauco: Os donos, dois irmãos, também não me conheciam. Quando iniciei o teste de microfone, um dos donos, que estava na mesa de som, me perguntou se eu era Locutor.
Webert: Ahahahahah!
Glauco: Eu disse que havia trabalhado durante 15 anos como Locutor Oficial da Presidência da República. O cara chamou o irmão para me ouvir.
Webert: Eles desconhecem um Locutor de verdade! Contou pra ele que foi "Mestre de Cerimônia" de 3 Presidentes, e voz de ouro na Globo? Ahahahahahah.
Glauco: Os dois ficaram de boca aberta.
Webert: Essa molecada de hoje, está realmente des-antenada. E se julgam 'antenados'.
Glauco: E disseram: Primeira vez que não precisamos mexer nos contatos do microfone. Você tem o TOM na voz.. Rs.
Webert: 16:52
Se me permiti, vou reproduzir esse texto nosso e publicar aqui, no Facebook.
Glauco: Está permitido. Rs. Mas vão nos gozar.
Webert: 16:53
Ok, vou copiar e editar. Breve publico.
Duvido que nos gozem! Sem presunção, somos dois papas em comunicação, somos duas lendas vivas.
Glauco: Quem sabe faríamos uma gravação de apresentação nossa? Como veria isso? Rs.
Com certeza!
Webert: Excelente. Ou reprodução de algumas peças suas.
Eu tenho aqui comigo o "Atrovex 30''.
Glauco: 16:54
Sim, mas não tenho nada ora aqui comigo, infelizmente. Atrovex?
Webert: 16:55
O Estúdio "Jorginho Abicalil" deve ter no arquivo, ou na Rádio Globo Rio.
Glauco: Faz tempo que não falo com o Jorginho Abicalil, e na Globo, muito menos.
Webert: 16:56
Você gravou para a Dinâmica, aquele remédio concorrendo com o Atroveran, lembre-se! Você e uma locutora do RJ. Foi você quem produziu.
Glauco: 16:56
Você me passou, certa vez, por aqui!
Webert: 16:57
Vou te enviar o vídeo agora:
http://on.fb.me/1VeEja2
1985-24.06 Medquímica, Viva a Vida Com Atrovex 30'' =
Pitacos de marketing e história 14: De novo, Leopoldina MG, terra quente! Na Medquímica, discutimos a batalha ferrenha, aliás, a guerra, que seria enfrentar o Atroveran! Mas desafio aceito, planejamos estratégias de vendas, distribuição e logística para o Atrovex. Atroveran, prepare-se!
Vencemos e abocanhamos 29% do mercado no ES-MG-RJ-GO e BA.
1985-24.06 Medquímica, Viva a Vida Com Atrovex 30''.
Locução: Glauco Horta Fassheber.
Produtora: Lupa Juiz de Fora.
Criação e Direção: Webert Machado.
Quem se lembra?
* * * * *
Tirem suas conclusões
Temos dito, eu e Glauco Horta Fassheber!
* * * * *

sábado, janeiro 09, 2016

Pitacos de marketing 004: Ei, você aí, prepare-se para a realidade virtual! Está preparado?

video

Pitacos de marketing 004
* * * * *

Link do vídeo: Microsot Productivity Future Vision 2011
Ei, você aí, prepare-se para a realidade virtual! Está preparado?
Desde idos tempos, lá pelos 80-1990, estava eu na Agnelo Pacheco Criação & Propaganda (SP), e a velha máquina de escrever e composer IBM eletrônica foi substituída pelos servidores e primeiros terminais de PC's. A impressora da Agnelo e o servidor eram dois canhões, ocupavam uma área grande no centro da sala, 75 colaboradores à volta. Eram equipamentos um pouco grandes. Eu já vislumbrava e adiantava, àquela época, que tudo ia mudar profundamente nos próximas décadas. 
Lançamos, então, o primeiro gadget 'trambolho', celular Motorola para 10.000 inscritos na Telesp, a primeira 'Telesp Celular' do País. A fila para obter o aparelho era gigantesca e custavam uma nota preta. Ah, só funcionava para altos executivos, num médio raio além da Av. Paulista. Ah, velhos tempos... A campanha foi linda! Parabéns à Agnelo Pacheco! Nesta campanha, não participei direta ou indiretamente.
Aquele Motorola Flip precisava de 2 baterias x dia e ficava pesado nas nossas pastas 007. Era só o começo de uma nova era. A era dos 'trambolhos', dos 'gadgets'.
Uma pena é a ausência de consciência da sociedade com o lixo eletrônico desde sempre, ainda mais quando muitos desses gadgets têm fabricação com obsolescência programada, fabricados que são por empresas imorais e aéticas.
Logo depois, quando atuei na Horta Propaganda, minhas 'premonições' se aprofundaram quando navegávamos na Internet, em Windows 3.1 ou 95, com 56 Kbps via fone. Nem todo mundo tinha. Só grandes e médias corporações estavam antenadas, custava caro.
Era a primeira vez para tudo. Uma Internet lenta, pesada, incipiente, com milhões de pessoas ainda perdidas mundo afora tentando entender o que fazer com ela. Avançamos, e como avançamos. A rede hoje é uma benção, o maior portal de livre expressão e liberdade de pensamento que o ser humano já pode criar. Eternizou os livros!
Lembra-se, você aí, daquele chiado da rede quando o modem do PC disparava? A juventude de hoje nunca ouviu aquele chiado...
Venho da época do DOS com livros grandes cheios de orientações, cheios de Ctrl+K+C, Ctrl+P etc. e monitor de tela verde. Hoje, temos telas de TV's laminadas que se enrolam pra carregar debaixo do braço. O Bill Gates estava começando a enriquecer, depois da IBM negar seu projeto. Enfim, o computador era para todos nós, humanos. Estávamos virando "Os Jetsons", filme de infância que encheu minha mente de 'premonições', hoje, todas se realizando.
O nascimento da nanotologia, da microtrônica, do microscópio eletrônico, a descoberta do DNA, o entendimento profundo de novas energias e a mente fugaz dos seres humanos nos trouxeram até aqui, confirmando minhas previsões. Pena que não as escrevia à época para afirmar e confirmar meus entendimentos do que seria o futuro, o hoje!
Minhas 'visões'?! Eu apenas as discutia em rodas de bar com amigos, namoradas, nas salas de aula, nas rodas de bate-papo face-to-face. Ah, o face-to-face se tornou Facebook.
Mas hoje, eu escrevo o 'futuro', o futuro da realidade virtual, o futuro que está aí batendo na sua porta doido pra você jogar seu smartphone na lata do lixo eletrônico e trocá-lo por um relógio com cristais que energizam a energia no ar, na sua frente, na sua 'face', a tela da sua smartTV ou do seu smartphone. Em 77K.
Você sabia que a energia e as ondas são propulsionadas nos e através dos cristais?
Você sabia que antigamente (30 anos atrás), rádios e TV's tinham gigantescos cristais em seus transmissores para fazer chegar até você, na telinha ou no dial do seu rádio, imagens e sons?
Hoje, são tão pequenos, tão HDMI, 4K, USB 5.0, Intel i21 ou oito-core, e sei lá mais o quê que vem por aí...
Breve, muito breve, 5 anos no máximo (No Brasil, como sempre e infelizmente, em 10 ou 15 anos.), você terá um cristal no seu pulso (Poderoso e microtrônico, diga-se de passagem. Pra enxergá-lo, só no microscópio eletrônico). Ou no cérebro.
Ao seu lado, seja num simples relógio, ou em um óculos. A escolha é sua. Ou, se preferir, em um chip Intel instalado ao lado do seu cérebro. A escolha é sua, repito. Mas que você vai se virtualizar, ah, vai, isso vai!
Estamos virando robôs. Ou seremos a família "Jetsons"?!...
Prepare-se, o futuro está tocando seu smartphone, atenda-o: Alô!
Ou aperte o cristal do seu relógio digital e atenda em uma tela virtual na sua frente.
Ou continue tomando o bonde da história.
(Ah, o filme anexo é verdadeiro!).
Beijos no coração virtual.

Webert Machado é publicitário e executivo de marketing há 38 anos.

sexta-feira, janeiro 08, 2016

Pitacos de marketing 003: Market Share e Mind Share, essa onda pega!



Pitacos de marketing 003
* * * * *
Market Share e Mind Share, essa onda pega!

Share of market e share of mind! Lhe parecem estranhos esses termos em inglês?
Mas são de fácil tradução e entendimento. Vamos lá.
"Market Share" ou Share of market, traduzindo, "Participação de Mercado", implica no quanto seu produto ou serviço tem de porcentagem de participação no mercado aonde atua. A quantas andam as suas estratégias de promoção e vendas para incrementar, aumentar e consolidar sua participação mediante a concorrência?
Já "Mind Share" ou share of mind, traduzido "Participação na Mente", implica em um processo mais complicado, pois significa o quanto a marca de seu produto ou serviço está impregnada e consolidada na mente de seus consumidores.
Gerir com eficiência e qualidade o branding de suas marcas é imprescindível para infiltrar e permanecer na mente do consumidor fixando consciente e inconscientemente suas marcas.
Daí vêm diversos questionamentos:
Como está a sua plataforma de comunicação atualmente?
Sua presença nas mídias de forma institucional e / ou comercial é constante?
Você tem um planejamento estratégico de comunicação atrelado a um calendário promocional que lhe permita a presença constante de suas marcas em evidência?
Sua empresa tem um budget publicitário adequado à realidade do mercado em que atua?
E seus consumidores, são felizes com sua marca e lhe dão fidedignidade?

Enfim, como anda os 'market share' e 'mind share' de seu negócio?

Pitacos de marketing 002: Budget... Essa palavrinha é mágica!


Pitacos de marketing 002
* * * * *
Budget... Essa palavrinha é mágica!

Você já foi ou gosta de circo e magia? Lembra-se quando o mágico milagrosamente multiplica as cartas ou os coelhos na cartola?
Sabem por quê eles conseguem a façanha? Porque são espertos, muito espertos e usam o budget. Mas afinal, pra você que não sabe o que é...
O que é Budget? Que palavra esquisita essa vinda do inglês, de origem francesa (de bougette)?
É simples e fácil no português, mas é mundialmente usada no mundo dos negócios, por isto a pronúncia sempre no inglês.
Significa orçamento!
Tecnicamente significa "Orçamento é expressão quantitativa de um plano de negócios para um período definido de tempo. Isto inclui o plano de vendas, volume e receita, quantidades de recursos, custas e despesas, ativos, obrigações e fluxos de caixas. Expressa, acima de tudo, planos estratégicos de negócio, unidades, organizações, atividade ou acontecimentos de envergadura."
* * * * *
Até governos mundo afora usam o budget, países sérios, claro, porque o nosso vai de mal a pior no seu budget...
É, aí te pergunto: você faz mágicas com o seu budget, ainda mais em tempos de crise?
Sim, budget é planejamento estratégico do seu negócio, tim tim por tim, milimetricamente calculado. Da manutenção à produção, do finaneiro ao RH, da recepção ao marketing.
No marketing então, nem se fala. Sabe aquela eterna pergunta que fica:
Como vou aumentar minhas vendas? Como conquistar mercado quando ele está recuado?
Seja criativo e reinvente-se.
Nas ações de marketing, planeje e reinvente seu plano de comunicação mensurando seus custos criteriosamente, desde suas ações digitais às ações pessoais de sua equipe.
Enfim: você calcula sua verba publicitária, o seu "budget" de comunicação ou você determina a verba e a retira do seu caixa, do lucro ou do estoque? É assim que você paga seus "anúncios"?
Se você não planejar cada centavo a ser investido em sua comunicação, lentamente sua caixa de mágica começa a perder sentido, pois seu lucro está indo para o ralo.
Calcule milimetricamente cada centavo de sua comunicação, desde o cartão de visitas até às plataformas de mídias eletrônicas de massa, seja TV, rádio ou portais da web. Pouco importa o tamanho do seu negócio, de MEI à grandes negócios.
É a compreensão das eternas cinco perguntas do marketing: como, quando, aonde, o quê e pra quem?
Portanto, na hora de aplicar qualquer atividade de comunicação para atingir seu consumidor final, faça e repita sistematicamente as cinco perguntas acima.
Afinal, o investimento publicitário é pago pelo consumidor lá na ponta, o que exige que seu budget de comunicação seja planejado, conciso, preciso e focado no tempo e no custo.
Que tal, como sugestão em tempos de crise, caso suas vendas estejam recessivas, baixar seu lucro (real) em volta de 50% e levar esta vantagem para seu consumidor? Além de conseguir girar mais seu estoque, você enche seu caixa com a velha prática da economia de escala: quanto mais barato, mais eu vendo!
É como a caixa de mágicas: quando mais precisa e planejada, mais cartas saem dela.
Se seu negócio está com budget mal planejado, está na hora de rever seus conceitos, reformular seu negócio e sobreviver à crise.
Ou então, feche as cortinas do seu palco!

Webert Machado é publicitário e executivo de marketing há 38 anos.

Pitacos de Marketing 001: Você atrai clientes e vende através de gadgets?


Pitacos de Marketing 001
* * * * *
Você atrai clientes e vende através de gadgets?
Nos anos 1960, fez sucesso na TV o seriado "Os Jetsons", que retratava o mundo do futuro. Era uma premonição dos tempos atuais. O tempo passou e o mundo mudou, quase cumprindo as premonições daquele seriado.
Hoje, tablets, smartphones, celulares, óculos e até relógios fazem parte do nosso cotidiano, com todos nós agarrados a eles diariamente nos bate-papos, chats, SMS, redes sociais e afins.
Com o avanço da tecnologia que chegou ao toque dos nossos dedos, muda também a concepção de fazer negócios.
Você aí, empresário ou empreendedor, já vende através dos gadgets?
Você aí, consumidor, já pauta sua vida, suas compras e seus hábitos através deles?
Se não, acordem, pois a tendência à virtualização e à interatividade constante irão se acentuar cada vez mais.
Hoje, centenas de aplicativos estão disponíveis e ao alcance para otimizar e ampliar negócios e impulsionar vendas, desde aplicativos que te levam a sites de vendas online até aplicativos que "fisgam" clientes em contato direto com seus gadgets.
Que tal avançar em suas estratégias de marketing e adotar esses aplicativos?
Que tal "fisgar" seu cliente no simples ato dele passar na porta de sua loja através de aplicativos que apresentam a loja para o mesmo?
Aplicativos como o Ájili e o SalesMesh são alguns exemplos, dentre tantos.
Ou então, contrate profissionais especializados para desenvolver um aplicativo com a cara e o jeito de sua empresa. Daqueles que despertam o consumidor quando este passar perto de seu negócio.
Está esperando o que para subir na nave dos Jetsons e viver o futuro agora? Mexa-se e avance em seus negócios!
Ou então, corra atrás do bonde da história.

Webert Machado é publicitário e executivo de marketing há 38 anos.